Singularidade

Havíamos concluído o projeto dos vitrais da igreja do Ressuscitado que passou pela Cruz. A ordem seria passarmos à criação das portas. Mas a ideia delas não estava madura dentro de mim. O que estava latente eram os bancos. Ora, os bancos da nave de uma igreja não têm simbologia, servem apenas a uma função: acolher a assembléia. Mas estava inquieta, entusiasmada com a riqueza e a dignidade da singularidade humana. Os bancos precisavam expressar que não somos todos iguais, prontos a seguir um padrão único. Resolvi prototipar um banco e ir entendendo como imprimir a diferença em cada um. Foi quando recebi uma valiosa sugestão: usar madeiras com costaneiras, as marcas das cascas de cada árvore. Então todos os bancos seriam naturalmente diferentes: a singularidade da madeira refletiria a singularidade humana!

A partir dessa definição já poderia comprar a matéria-prima para produzir o protótipo do banco. Mas, após procurar o material nas lojas varejistas de toda a cidade, por valores acessíveis para produzir apenas um banco, só consegui encontrar uma sobra de madeira com costaneira, toda empenada, furada por bichos, muito danificada. Pareciam impróprias para uso. Segui assim mesmo. Acontecia que procurei a madeira dando-lhe sentido, mas à medida que me aproximava dela, manuseava, cortava, lixava, ela ia me devolvendo significados: lixando as camadas superficiais e chegando ao seu cerne, ela mostrava sua beleza e dignidade. Veja: eu não lhe dei dignidade, ela mostrou apenas o que já tinha internamente. Assim é a madeira, assim somos nós. E a arte é fecunda quando evidencia verdades como esta. Os furos feitos pelos bichos, que a princípio incomodaram, não foram tamponados. Ao contrário, deixaram transparecer a força da árvore, que resistiu, sobreviveu. Tais marcas se tornaram sua beleza mais pascal. E não é assim conosco? Isso tudo não fala da condição humana?

Janice Dantas

Imagem: Protótipo do Banco Singular. Fonte: arquivo próprio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s