Passado interessa?

A quem? 

Eu juntaria e começaria por aquém… 

Assim fica o humano desconsiderando o passado: aquém de si mesmo. Uma cidade, um povo que desdenha do que construiu: aquém de suas possibilidades de futuro.

Quando se fala em preservação do patrimônio, não é sobre pedras e tijolos antigos, mas sobre narrativas de formação. É sobre constituição, não a lei, mas como se constitui uma cultura. 

E por cultura, entenda-se, falo da forma de funcionar de uma determinada sociedade ao longo do tempo e materializada de várias formas, do vestuário às construções. 

As obras edificadas cristalizam o tempo em que foram erguidas. Anunciam claramente valores.

E tudo precisa ser preservado, só por ser antigo?

Não. Há construções antigas com má qualidade de projeto, que não dizem muito, assim como hoje há. Mas se houver valor arquitetônico e histórico, sim, precisa ser preservado.

Interessa o valor da obra diante de uma cultura.

Um bem imóvel pode ter se tornado um bem cultural, e isso ultrapassa em muito o valor econômico. É quando metros quadrados se tornam mais que área. É que o humano existe para além da objetividade; possui também uma subjetividade bem desenvolvida.

Por isso passado interessa. Porque para além do meramente objetivo, somos seres históricos.

Janice Dantas

Imagem: Montagem dos vitrais da fachada principal da Igreja do Ressuscitado que passou pela Cruz. Fonte: Arquivo próprio

Um comentário em “Passado interessa?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s